Expectativa de vida maior do brasileiro reduz o valor de novas aposentadorias

images

Motivo de queixas recorrentes, o fator previdenciário está reduzindo ainda mais valores pagos pelo INSS a novas aposentadorias por tempo de contribuição. Desde segunda-feira, quem busca o benefício e quer escapar do impacto fruto do aumento da expectativa de vida terá de contribuir ao menos 150 dias a mais para ter direito ao mesmo valor de quem encaminhou a papelada na semana passada.

O fator previdenciário leva em consideração a idade do segurado no momento da aposentadoria, o tempo de contribuição e a expectativa de vida. Na segunda-feira, o IBGE divulgou que as projeções de sobrevida subiram de 74,1 anos de idade em 2011 para 74,6 em 2012. Como tende a passar mais tempo recebendo o benefício do INSS, o valor mensal cai (veja o percentual para diferentes simulações de idade no gráfico abaixo).

Cálculos do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário indicam que a redução média no benefício é de 1,64%. Para quem está perto de se aposentar, uma dica é protocolar a documentação antes de dezembro, fugindo da nova tábua tradicionalmente divulgada no mês. Além disso, o segurado pode buscar ajuda especializada para definir a melhor data para se aposentar. Quem encaminhou os papéis ao INSS antes de segunda-feira e ainda não teve resposta não é prejudicado pela nova tabela.

Apesar da pressão de centrais sindicais e de parte do Congresso pelo fim do fator previdenciário, o governo já indicou que não pretende tratar do assunto em 2014 pelos danos potenciais às contas da Previdência e por ser um ano eleitoral. A opção considerada mais viável para substituir o atual modelo é a fórmula 85/95. Prevê que os segurados não tenham perdas nos benefícios desde que, entre os homens, a soma entre idade e tempo de contribuição seja de 95 anos. Para as mulheres, de 85 anos.

Comentários

Comentários

« Voltar