Alemanha bate Argentina e conquista o tetracampeonato

Alemanha

A “Copa das Copas” não poderia terminar em apenas 90 minutos de jogo. Alemanha e Argentina deram o máximo até a última gota de suor no Maracanã, na tarde deste domingo e os europeus aproveitaram um dos poucos vacilos da defesa sul-americana para Götze marcar o gol que garantiu o tetracampeonato alemão na Copa do Mundo.

O país europeu agora se iguala a Itália em número de títulos e fica na cola do Brasil, ainda recordista da competição, com cinco troféus.

Esse é o primeiro título da Alemanha unificada. Os outros três foram conquistados pelo lado Ocidental, o último em 1990, exatamente contra os rivais sul-americanos.

Argentina e Alemanha criam boas chances

Os dois países começaram a partida buscando o gol e criaram chances de perigo. A Alemanha mantinha a sua posse de bola e chegava na base do passe. Os argentinos montaram duas linhas de quatro e povoaram o meio de campo e a defesa para não dar espaços.

A primeira chance apareceu logo aos 3, quando Müller foi derrubado próximo a área e Kroos mandou uma bomba em cima da barreira. Mesmo com o domínio da posse, a Argentina era quem criava as melhores chances.

O país sul-americano respondeu com Lavezzi, que avançou em velocidade e mandou para Higuain, que bateu cruzado para o susto de Neuer.

 

Messi, artilheiro de seu país na Copa do Mundo, chamou a responsabilidade e deu grande arrancada, deixando Hummels para trás e cruzou para a área, ficando com a defesa alemã. Os Hermanos chegaram bem novamente aos 9, quando Zabaleta cruzou na área e a bola passou por todos, até chegar nos pés de Schweinsteiger.

A equipe tricampeã do mundo chegava bem quando abria o jogo pelo lado direito. Com bolas alçadas na área, Klose quase conseguiu desviar o cruzamento de Lahm, aos 12.

Sem Khedira, que sentiu uma lesão antes do início da partida, Kramer foi para campo e não durou muito no Maracanã. Aos 16, o meia dividiu bola com Garay e levou a pior ao bater o rosto no ombro do defensor. O jogador do Monchengladbach tentou continuar em campo, mas desnorteado, foi substituído por Schürrle.

Higuaín teve a chance do primeiro tempo aos 20. Toni Kroos cabeceou mal para trás e o camisa 9 ficou sozinho de frente para Neuer, mas bateu muito mal pela linha de fundo.

Aos 29, porém, o centroavante comemorou. Messi deixou Lavezzi sozinho na direita e o atacante cruzou para Higuaín, que bateu firme e no canto para abrir o placar. Enquanto comemorava, o árbitro Nicola Rizzoli anulava o seu gol, assinalando o impedimento.

Messi teve outro lampejo e quase marcou, mas a defesa da europeia salvou a bola quase em cima da linha.

A partir daí, os alemães equilibraram as ações e criaram problemas para a defesa sul-americana. Aos 36, Müller fez ótima jogada e rolou para Schürrle, que bateu firme para defesa de Romero.

Pressionando a saída de bola de Mascherano, a equipe de Joachim Löw assustou novamente aos 42. Özil recebeu na meia lua e deixou Kroos na boa, mas o meia finalizou mal, nas mãos do arqueiro argentino.

No último lance do primeiro tempo, o zagueiro Höwedes aproveitou a cobrança de escanteio e mandou uma bomba na trave. Na volta, a bola bateu no quadril de Müller e Romero defendeu a tempo de evitar o gol da Alemanha.

Placar continua igual

Alejandro Sabella tirou Lavezzi e colocou Agüero em campo para melhorar a finalização e a sua equipe já chegou com perigo logo aos 2, quando Messi invadiu a área e bateu cruzado, rente a trave do camisa 1 alemão.

Löw pediu calma aos seus comandados e eles colocaram a bola no chão. Schürrle fez ótima jogada aos 8 e foi derrubado. Com a vantagem, Müller tentou cruzar para Klose e a defesa afastou o perigo.

No minuto seguinte, Higuaín fora lançado e Neuer saiu do gol, meio estabanado, para afastar. Na sequência, o goleiro trombou com o centroavante e o árbitro marcou falta do argentino, para a sua revolta.

Apertando a saída de bola, os alemães chegaram aos 13 com Klose, que subiu entre Demichelis e Zabaleta, cabeceando fraco nas mãos de Romero.

Com menos gás, os argentinos começaram a parar mais a partida com faltas. Mascherano ganhou um cartão próximo da metade da etapa final, após derrubar Klose. Agüero também não perdeu a viagem e acertou forte Schweinsteiger.

A Alemanha teve grande chance aos 25. Schürrle e Kroos foram tabelando aos trancos e barrancos, mas o camisa 9 adiantou demais quando saiu de frente para o goleiro adversário, facilitando a defesa.

Messi apareceu novamente aos 29, puxando a bola com a sua perigosa canhota e finalizando mal para o gol. Sabella sentiu o ritmo diminuir na frente e colocou Palacio na frente de Higuaín.

A mudança não surtiu efeito e os alemães continuaram com o domínio. Aproveitando o cansaço dos adversários, o país europeu quase tirou o zero do placar com Kroos, quando aos 36, Lahm achou o seu companheiro na meia lua e ele mandou mal de chapa pela linha de fundo.

Com cinco minutos para o fim dos 45 minutos finais, os técnicos começaram a mexer para se preparar para a prorrogação. Götze entrou no lugar do veterano Klose e Gago foi a campo no lugar de Pérez.

A Alemanha e a Argentina tentaram chegar ao ataque, mas as defesas continuaram levando vantagem até o apito final do de Rizzoli.

Götze garante o tetra

Logo no primeiro minuto, Schürrle recebeu na cara do gol e mandou uma bomba em cima de Romero. Os argentinos saíram em velocidade no contra-ataque com Agüero e Messi, mas Boateng e Hummels chegaram firme para matar a jogada ofensiva.

Palacio teve ótima chance aos 6. Após falha do zagueiro do Borussia Dortmund, o atacante chapelou Neuer, mas mandou a bola com muita força e ela saiu pela linha de fundo.

O cansaço foi aumentando e os erros de passe foram aumentando dos dois lados. Homens como Schweinsteiger já não se aguentavam em pé nos primeiros 15 minutos.

Para piorar a situação do camisa 7 alemão, Mascherano e Agüero o acertaram, o segundo abrindo um corte em seu rosto. O veterano pediu o cartão nos dois lances, mas o italiano fez vista grossa para os argentinos amarelados.

Aos 7 da etapa final, Schürrle avançou pela esquerda e cruzou para a área. Garay marcou mal e Götze, sozinho, dominou e bateu na saída de Romero, fazendo o gol que dava o quarto título da história da Alemanha, o primeiro do país como um só, sem a separação das equipes como Ocidental e Oriental.

Na base do desespero, a Argentina partiu para cima e Messi cabeceou uma bola com muito perigo. Müller fez grande jogada logo depois e cruzou para o meio da área, mas não encontrou ninguém.

No último lance da partida, Messi teve grande chance de falta, com todos os seus companheiros dentro de campo e mandou a bola direto, longe do gol.

Os alemães pediam o fim de jogo e Nicola Rizzoli, com requintes de crueldade, segurou um minuto antes de confirmar o quarto título da Alemanha em mundiais.

Fonte: Panonline

 

Comentários

Comentários

« Voltar